15
Fev
2013
PERIODIZAÇÃO DA MUSCULAÇÃO EM ACADEMIAS: Conceitos Iniciais
Por: Denis Foschini

Caros colegas, acredito que um dos nossos grandes desafios na prescrição da musculação em academias é o planejamento/periodização da musculação em academias. Ouço sempre dos profissionais de Educação Física diversos motivos para essa baixa utilização da periodização em academias, incluindo o tempo investido para elaboração de uma periodização, a rotatividade de clientes, o número de profissionais para número de alunos/clientes, a eficácia da periodização, entre outros.

Iniciarei uma série de Posts (iniciando por esse) para apresentar os conceitos, motivos, vantagens/desvantagens e os modelos de periodização que podem ser aplicados em academias. Tenho utilizado estes modelos, sobretudo o ondulatório no treinamento personalizado, mas farei uma abordagem que facilite a utilização destes modelos por profissionais que atuam em sala de musculação...

Neste primeiro Post discutirei tecnicamente sobre alguns conceitos e motivos para utilizarmos a periodização.



Maiores detalhes poderão ser encontrados no livro: Prescrição e Periodização do Treinamento de Força em Academias. Editora Manole. Autores: Jonato Prestes, Denis Foschini, Paulo Marchetti e Mario Charro


PERIODIZAÇÃO, alguns conceitos...




Segundo Fleck (1999), a periodização do treinamento de força (musculação) consiste nas alteração das variáveis do programa em intervalos de tempo regulares, com a intenção de induzir ganhos ótimos de força, potência, desempenho motor e/ou hipertrofia muscular.Leia mais »

30
Jan
2013
Avaliação física em academias, uma nova abordagem
Por: Denis Foschini

Queridos colegas, desta vez gostaria de dialogar com vocês sobre as novas abordagens com relação a avaliação física em academias.


http://www.educacaofisica.com.br/index.php/ciencia-ef/canais-cienciaef/avaliacao-fisica/24712-objetivo-aluno-foco-avaliacao-fisica


Abs


Denis Foschini

11
Jan
2013
MÉTODOS DE TREINAMENTO NA MUSCULAÇÃO
Por: Denis Foschini

Queridos colegas, desta vez gostaria de dialogar com vocês sobre a estruturação de dois métodos/sistemas de treinamento utilizados na musculação. GOSTARIA DE SABER AS DÚVIDAS DE VOCÊS SOBRE ESTES DOIS MÉTODOS E O INTERESSE SOBRE OUTROS...




Existem diversos, talvez centenas, de métodos (formas de execução) de treinamento na musculação. A principal questão que nós profissionais temos sobre este tema é “qual é o melhor método”. Esta resposta ainda permanece obscura, por existir poucos estudos na área e, sobretudo, pela diferença metodológico entre os estudos, fato que limita a comparação entre os existentes.

Apesar desta investigação ser de extrema importância para o crescimento da musculação, nesta postagem venho com a proposta de apresentar a estruturação de alguns métodos comumente adotados nas salas de musculação do Brasil.

Créditos:

Este texto foi escrito pelos colegas Dr. Paulo Marchetti e Ms. Mario Charro e está disponível na íntegra no livro “Prescrição e Periodização do Treinamento de Força em Academias”, o qual tive a grande honra de dividir a autoria com eles e com o Dr. Jonato Prestes.

Segundo Marchett e Charro (2010), um esforço no sentido de estabelecer melhoras para a prescrição do treinamento de força foi feito por Kraemer, em 1983. Kraemer estabeleceu o conceito de variáveis agudas do treinamento, que são divididas em variáveis de volume de carga, variáveis de intensidade de carga e a freqüência de treinamento.

As variáveis de volume de carga (amplitude...
Leia mais »

20
Dez
2012
DOR MUSCULAR DE INÍCIO TARDIO (DMIT), UMA CAUSA EM POTENCIAL DA EVASÃO EM ACADEMIAS DE PESSOAS INICIANTES
Por: Denis Foschini

Caros colegas,


Gostaria de saber se vocês compartilham da mesma opinião... Um dos nossos grandes desafios é auxiliar com que iniciantes em academias simpatizem com esta prática e permaneçam nela por longo tempo (de preferência a vida toda).  Sabe-se que muitos fatores influenciam a adesão à prática da musculação, incluindo a estrutura da academia (p. ex. Os equipamentos, sanitários, estacionamento, etc...), a liderança  e orientação do profissional, os resultados e muitos outros fatores. Gostaria de “dialogar” com vocês por meio desta matéria sobre a Dor Muscular de Início Tardio, uma potencial causa de evasão no início da prática.



Apresentarei aqui, alguns conceitos e fatores que influenciam a DMIT, para que possamos nos aprofundar nos mares do conhecimento e assim prescrever a musculação com maior segurança e eficácia.



Gostaria de agradecer aos amigos Ms. Mário Charro e Dr. Jonato Prestes pela ajuda nos devaneios que geraram este texto. Para maiores informações, buscar:  Rev. Bras.Cineantropom. Desempenho Hum. 2007;9(1):101-106



Espero que gostem e que mandem dúvidas e sugestões!!! Ótima leitura




 


DOR MUSCULAR DE INÍCIO TARDIO (DMIT)



A DMIT é caracterizada como sendo uma sensação de desconforto e/ou dor na musculatura esquelética que ocorre algumas horas após a prática do exercício4. Os sintomas de dor aparecem, geralmente, 8 horas após o término do esforço, alcançando intensidade máxima entre 24 e 72 horas, podendo persistir por...
Leia mais »

01
Nov
2012
Treinamento de Força em Atletas de Travessias Marítimas
Por: Dilmar Guedes

Olá Professores.
 
Para conhecimento, segue artigo publicado Treinamento de Força em Atletas de Travessias Marítimas.
 
Boa leitura!
Abraço.


Clique aqui para baixar o arquivo.