23
Abr
2013
Treinamento de Força e Qualidade de Vida na Idade Avançada
Por: Dilmar Guedes

 TREINAMENTO DE FORÇA E QUALIDADE DE VIDA NA IDADE AVANÇADA


Prof. Esp. Krom Marsili Guedes


Durante longo tempo a musculação sofreu uma série de preconceitos, vista de forma negativa para determinadas populações, entre elas , os idosos. Com a publicação de pesquisas científicas na área, a importância da musculação para a qualidade de vida de idosos foi reconhecida.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), são considerados idosos, pessoas a partir de 60 anos em países considerados em desenvolvimento e 65 anos nos países desenvolvidos. No entanto, o Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM) destaca que não é sensato definir o idoso por idade cronológica.

A musculação na idade avançada traz uma série de benefícios, tais como: melhora a circulação periférica, aumenta a força e a massa muscular, colabora no controle da pressão arterial, aumenta a autoestima, facilita a realização das tarefas diárias (AVDs), como subir degraus, levantar da cadeira ou do chão, carregar objetos, além de promover independência e inclusão social.

Além disso, a musculação previne e colabora no tratamento de patologias que ocorrem com o avanço da idade como a osteopenia, que evolui para osteoporose e a sarcopenia, que é a perda de massa muscular e força com o passar dos anos.

Portanto, a musculação é parte fundamental do programa de treinamento físico para o idoso. Os exercícios escolhidos devem reproduzir ou auxiliar nas tarefas diárias do idoso. Entre eles, se destacam o agachamento que reproduz o ato de sentar...
Leia mais »

16
Abr
2013
EXEMPLOS DE PERIODIZAÇÃO NA MUSCULAÇÃO
Por: Denis Foschini

 Aplicações práticas: exemplos de periodização


Nesse momento, é extremamente importante deixar claro ao leitor que os exemplos apresentados a seguir constituem apenas parâmetros para se elaborar uma periodização, mas não se tratam de regras ou leis a serem seguidas. O fundamental é entender os conceitos, por que e como elaborar uma periodização, e em seguida aplicar a sua criatividade a esses conhecimentos para que se obtenha uma periodização adequada às características individuais.


Periodização linear visando hipertrofia e força para alunos iniciantes, intermediários e avançados.

A figura 1 (vide anexo) apresenta uma sugestão de periodização linear clássica, adaptada de Kraemer et al. (2004), a intensidade (carga) é aumentada progressivamente a cada microciclo e o volume (número de repetições) é reduzido. Os autores sugerem o modelo para 24 semanas, ou seja, após as 12 primeiras semanas, os ciclos são repetidos com os mesmos padrões. Para ficar mais aplicado podemos fazer as seguintes sugestões: 1) após 12 semanas a ordem e/ou os exercícios podem ser mudados e os microciclos repetidos, 2) nos microciclos sugerimos uma variabilidade nas repetições máximas, por exemplo, em vez de 12RM fixas, poderiam ser 12-14RM e assim por diante para as outras cargas em cada microciclo. Este modelo é bem aplicável para iniciantes, porque os microciclos são mais longos e as cargas leves a moderadas.


O mesmo treinamento poderia ser aplicado para alunos que treinam duas vezes por semana, como na figura 2 (vide anexo). As mesmas...
Leia mais »


Clique aqui para baixar o arquivo.

01
Abr
2013
PERIODIZAÇÃO DA MUSCULAÇÃO EM ACADEMIAS: Parte 3
Por: Denis Foschini

Periodização ondulatória ou não linear


Nos POSTs anteriores em que abordamos periodização da musculação em academias, começamos a “conversar” sobre alguns modelos de periodização. Mais especificamente, “falamos” sobre o modelo clássico, linear. Outro modelo de periodização da força aplicado é o ondulatório ou não linear, que consiste no aumento e diminuição na intensidade e no volume, porém, essas mudanças são realizadas dentro da mesma semana ou num período entre 7-10 dias, a variação dos componentes do treinamento é mais freqüente, sendo efetuada em períodos mais curtos. Esse modelo de periodização é mais recente, sendo que o primeiro relato da utilização da periodização ondulatória foi proposto em 1988 por Poliquin. Ao contrário de realizar modificações dentro de um período de meses, pelo modelo ondulatório estas manipulações são aplicadas de forma semanal ou mesmo diárias (RHEA et al., 2003).



É importante considerar que essa variação deve ser realizada para cada grupo muscular, ou seja, quando o sujeito for repetir o treino para um determinado grupo muscular muda-se o estímulo.



Por exemplo, um indivíduo deve variar de um treino com alto volume e baixa intensidade para um treino com volume reduzido e alta intensidade na mesma semana, conforme exemplo na figura 5 ou tabela 1, considerando que os treinos são para os mesmos grupos musculares. Em razão das alterações mais freqüentes nos estímulos é especulado que este modelo possa induzir a...
Leia mais »


Clique aqui para baixar o arquivo.

15
Mar
2013
O que é melhor? Musculação antes do aeróbio ou aeróbio antes da musculação...
Por: Denis Foschini
28
Fev
2013
PERIODIZAÇÃO DA MUSCULAÇÃO EM ACADEMIAS: Parte 2
Por: Denis Foschini

Queridos amigos,



Neste texto, daremos continuidade ao conteúdo do último post, “dialogando” sobre a metodologia da periodização, mais especificamente sobre o modelo  linear, conhecido como o modelo clássico de periodização. Nos próximos, “dialogaremos” sobre outros modelos, não percam e: Participem!!! a opinião de vocês é extremamente importante para nosso crescimento profissional/pessoal e da Educação física,. Sua opinião é determinante, independentemente de ser divergente ou convergente com os dados apresentados nos POSTs. Vale ressaltar que a opinião de vocês fará com que este blog cresça e se torne um ambiente democrático de conhecimento, vamos juntos e com tudo!!! Educação Física melhor!!



Lembrando que este texto (na íntegra) pode ser encontrado no livro: Prescrição e periodização do treinamento de força em academias, Prestes et a., Editora Manole, 2010.



Periodização Linear, também conhecida por periodização clássica



Dentre os modelos de periodização da força muscular que podem ser utilizados podemos destacar a periodização linear, que consiste no aumento gradual da intensidade e diminuição do volume (Figura 1 e tabela 1), com essas mudanças ocorrendo aproximadamente em ciclos de uma a quatro semanas. Dentro de cada microciclo específico, a intensidade e o volume do treinamento freqüentemente são mantidos constantes, ou seja, a intensidade só será aumentada e o volume reduzido após a finalização de um ciclo proposto.

Leia mais »


Clique aqui para baixar o arquivo.